É natural sentir alguma insegurança ao se mudar para um novo endereço. Quem inicia uma etapa da vida tão importante assim, terá que se adaptar a uma nova vizinhança e a utilizar os serviços da região. Além disso, aspectos relacionados ao próprio imóvel também serão muito importantes, especialmente se for um apartamento alugado.

Você está em dúvida no momento? Essa condição de incerteza estará sempre presente, já que viver de aluguel implica em vários problemas:

  • Perder dinheiro;

  • Insegurança em relação ao futuro;

  • Descuidar em reformas, móveis e decoração;

  • Ter dores de cabeça com a manutenção;

Se você ainda não tem conhecimento de tais situações e quer se informar a respeito, leia esse texto até o fim. Aqui vamos apresentar os principais inconvenientes que você pode enfrentar se tiver que alugar um apartamento.

1.) Perder dinheiro

O aluguel é um impacto recorrente no orçamento de muitas famílias. E mesmo que você seja cuidadoso na hora de escolher o imóvel, não há como saber se um gasto que hoje é suportável amanhã também será.

Pense na seguinte situação: um pacote de arroz com 2 kg que você pega na dispensa é bem leve. Mas o coloque na mochila e saia andando por aí. Logo vai perceber a sensação de cansaço.

Da mesma forma, você ficará surpreso ao se dar conta do que gastará ao longo dos anos, já que o valor nunca retorna para o seu bolso.

Mais frustrante ainda é perceber, após algum tempo, que mesmo pagando religiosamente em dia o valor combinado, ao fim não avançou em nada na construção de seu próprio patrimônio.

Isso significa que em caso de imprevistos financeiros, você não terá direito algum sobre aquele imóvel e poderá ser obrigado a se mudar justamente no momento de maior dificuldade.

Além disso, quem mora de aluguel está sujeito a reajustes periódicos e constantes. É o contrário de um financiamento, onde a tendência é de que o impacto das parcelas se torne menor com o passar do tempo.

2.) Insegurança em relação ao futuro

A adaptação a um novo endereço é um processo difícil e vagaroso. Estabelecer uma nova rotina ajustada às possibilidades que a região oferece, além de boas relações com os vizinhos, não é algo que se resolve do dia para a noite.

Especialmente casais que tenham filhos, ou pretendam ter no futuro. Provavelmente eles vão se acostumar com a escola ou faculdade, com os amigos das imediações, sem contar o valor sentimental que é incalculável.

Quem mora de aluguel encontra muita dificuldade em estabelecer raízes e criar relações de confiança que sejam duradouras.

Além disso, é possível e até comum que em algum momento seja obrigado a deixar o imóvel onde já se ambientou. Se o proprietário tiver interesse em vender ou até morar no local, isso vai acarretar:

  • em custos com a mudança;

  • em transtorno para encontrar outro imóvel adequado às necessidades da família e que ela possa arcar financeiramente;

  • na  possibilidade de danificar móveis e eletrodomésticos;

3.) Descuidar em reformas, móveis e decoração

E quem não deseja aperfeiçoar sua moradia às próprias necessidades? Uma churrasqueira para receber os amigos, uma sala confortável para assistir televisão, uma reforma no banheiro… São planos almejados por qualquer família.

Hoje um profissional trabalha e se qualifica cada vez mais, portanto é justo e razoável desejar o máximo conforto em sua própria residência. Por exemplo, investindo em móveis planejados.

Só que muitos anseios podem se frustrar quando você mora em um imóvel alugado. Qualquer reforma precisa ser muito negociada com o proprietário, que sempre terá a palavra final.

4.) Ter dores de cabeça com a manutenção

E além disso, nada o obrigará a investir. Sua única responsabilidade é manter o apartamento em conformidade com as condições iniciais, e isso dependendo do que o contrato estabelece.

Problemas na parte hidráulica, tais como infiltrações, entupimentos, vazamentos, além das instalações elétricas, que podem causar danos em diversos aparelhos. Tais situações são bastante comuns em apartamentos para aluguel.

Geralmente são imóveis antigos ou, quando novos, construídos usando materiais de baixo custo e qualidade duvidosa. Defeitos que podem surgir ao longo do tempo, à medida que esses materiais costumam deteriorar. E muitas vezes o ônus caberá ao inquilino.

5.) Não ter endereço fixo

A grande maioria das pessoas que moram de aluguel acabam se mudando com frequência maior em comparação àqueles que resolvem adquirir o próprio imóvel. Essa realidade pode causar inúmeros transtornos, como veremos a seguir.

A maioria dos contratos e grande parte dos serviços recorrentes cadastram o seu endereço para comunicados oficiais. Sim, uma pessoa que se mudar várias vezes pode acabar tendo suas correspondências importantes distribuídas entre vários endereços.

Imagine quando se trata de assuntos sigilosos, como dívidas, serviços bancários, entregas de mercadorias, etc.

Da mesma forma, profissionais liberais que trabalham na modalidade de Micro Empreendedor Individual (MEI) podem cadastrar a própria residência como endereço do negócio. E caso more de aluguel, quando se mudar terá uma grande burocracia com nova liberação de alvará municipal, entre outros transtornos.

Conclusão

Pelas situações apresentadas, é fácil perceber que um aluguel envolve muito além daquele valor mensal que nunca retorna para seu bolso. Além de transtornos, você estará sujeito a enfrentar burocracia e até sofrer prejuízos.

Pior ainda é a sensação de estar com as mãos amarradas, desmotivado para investir em melhorias no local onde vive. Essa é uma frustração muito grande para quem mora em um apartamento alugado.

Se realmente você avaliar que no momento este é o melhor caminho, não perca de vista que estará sujeito a mudanças de endereço. Esse tipo de situação implica em custos diversos, além de danificar os móveis e assim reduzir sua durabilidade.

Muita gente precisou morar em imóvel alugado durante algum momento na vida. Aqueles que conseguiram se organizar financeiramente para a compra do próprio apartamento, tiveram uma agradável surpresa ao notar que o peso das parcelas se torna cada vez menor ao longo do tempo.

E se você tiver mais alguma dúvida sobre o assunto, deixe seu comentário! Valorizamos a sua participação e teremos imenso prazer em responder.